Entenda Como Funcionam As Taxas De Juros Dos Empréstimos

Em geral, a maior dificuldade das pessoas ao buscar uma instituição financeira para obter crédito, é entender as taxas de juros dos empréstimos.

Afinal de contas, nem sempre eles demonstram quais são as taxações aplicadas. Ou pior ainda, não explicam de forma clara e objetiva.

Este tipo de situação gera dúvidas da parte de quem pede um empréstimo pessoal, ou até mesmo outros tipos de empréstimo. Em alguns casos, leva até mesmo a erro e dificuldades de pagar as parcelas no futuro.

Portanto, para que você não passe por isso, continue lendo este artigo e tire todas as suas dúvidas! Veja também como Emitir Nota Fiscal MEI

Como Funcionam As Taxas De Juros Dos Empréstimos

Todos os empréstimos, sejam eles pessoal, consignado, para idosos ou negativados possuem características definidas pela instituição fornecedora.

Por isso, entender as taxas diferenciadas de juros dos empréstimos aumenta a capacidade de escolher a melhor opção para você – ao compará-las.

Taxas De Juros dos Empréstimos

Custo efetivo Total: ou apenas CET, é o valor total das taxas de juros de um empréstimo. Ou seja, sua taxa básica + os demais encargos ali embutidos que levam ao valor final. 

Toda instituição tem obrigação de fornecer essa informação de forma detalhada, o que permite a comparação por parte do cliente. Dois exemplos de encargos são os de administração e os de gastos operacionais.

Custo da captação: é a taxa básica que compõe os juros e ela é avaliada de 3 formas. Ao considerar os gastos com aquisição de cliente e os da venda do serviço. Bem como, o retorno sobre o valor investido. 

Para esse cálculo ser feito, serão considerados os riscos de mercado e de crédito. Ainda sendo comum considerar a taxa Selic (taxa de juros básica da nossa economia).

Risco de crédito: ou de inadimplência como algumas instituições chamam. Assim sendo, a cobrança pelo risco assumido por parte da empresa ao emprestar seu capital a terceiros, caracterizado pelos atrasos e não-quitação da dívida. 

Pois, esse risco afeta suas outras operações e possibilidade de fornecer o serviço a outros clientes. É uma precaução das empresas e quanto maior for o risco, maior será a taxa cobrada.

Juros: desse modo, é comum que a instituição cobre outros dois tipos de juros. O primeiro deles é o simples, é o rendimento que vem de um investimento inicial e que se mantém o mesmo em todas as parcelas. 

Já o composto, é aquele que incide sobre o capital inicial + o valor somado a cada parcela. Por exemplo, digamos que a primeira é 10 reais de capital + 50 centavos de juros (5% ao mês), totalizando 10,50. Então, no segundo mês ficará 10,50 + 0,53 (5%) = 11,03.

Taxa de administração: é uma taxa que as instituições cobram, no intuito de pagar o profissional que opera esse serviço. Ou seja, quem realiza a administração e a gestão do seu empréstimo. 

Em geral, ela é cobrada através de uma % anual que incide sobre o valor do capital (sem os encargos).

Conclusão

Vimos neste artigo as principais taxas de juros dos empréstimos e como elas funcionam.

Dessa forma, ao solicitar o seu orçamento peça os detalhes sobre cada um deles. Então, compare com os das demais instituições financeiras a fim de encontrar o melhor custo-benefício para você!

Este artigo foi útil para você? Deixe seu feedback nos comentários para que possamos sempre trazer o melhor conteúdo.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Vote também: este conteúdo te ajudou? 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
Loading...
Você também pode gostar

5 vantagens de comprar no carnê (crediário) Casas Bahia

A franquia de lojas de produtos, eletrodomésticos e móveis Casas Bahia, é…

Veja como emitir nota fiscal Mei

Muitos microempreendedores ainda têm dúvidas sobre como emitir nota fiscal MEI. Isso…